CRP 01/DF ARTICULA COM OUTROS CONSELHOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE NOVAS AÇÕES CONTRA AMPLIAÇÃO ABRUPTA DO MODELO DE GESTÃO DO HOSPITAL DE BASE PARA OUTRAS UNIDADES DE SAÚDE DO DF

CRP 01/DF ARTICULA COM OUTROS CONSELHOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE NOVAS AÇÕES CONTRA AMPLIAÇÃO ABRUPTA DO MODELO DE GESTÃO DO HOSPITAL DE BASE PARA OUTRAS UNIDADES DE SAÚDE DO DF


Falta de diálogo com a população e servidores, bem como carência de evidências quanto à melhoria dos serviços, são motivos de preocupação do conselho profissional

Imagem: Silvio Abdon/ CLDF

 

Membros da Comissão Especial Psicologia na Saúde do Conselho Regional de Psicologia do Distrito Federal (CRP 01/DF) acompanharam na última quinta-feira (24) a sessão extraordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) que aprovou a ampliação do novo modelo de gestão do Instituto Hospital de Base a um hospital regional e seis Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) no Distrito Federal.

A proposta inicial apresentada pelo governador Ibaneis Rocha estabelecia que o sistema de gestão fosse levado para três hospitais e seis UPAs. No entanto, emendas apresentadas por deputados antes do início da sessão de ontem garantiram que apenas o Hospital Regional de Santa Maria e as UPAs fossem afetados pelas mudanças.

Com natureza jurídica de serviço social autônomo, em vigor desde 2018, o Instituto, que passará a se chamar Instituto de Gestão Estratégica da Saúde do DF (IGESDF), terá orçamento e independência para gerenciar compras e contratações de prestadores de serviço e de profissionais para os centros de saúde, sem necessidade de aprovação da Secretaria de Saúde.

A psicóloga e membra da Comissão Especial de Saúde do CRP 01/DF, Adriana Jaime, destaca que a preocupação dos servidores é sobretudo com a população. "Não há evidências de que o Instituto Hospital de Base tenha melhorado a situação. Pelo contrário. Temos dados comprovando que não. É só observar o histórico do Hospital Regional de Santa Maria com a Real Sociedade Espanhola e a Intensicare. A primeira com corrupção comprovada e a segunda sendo tirada das UTIs por falta de pagamento do governo Rollemberg. O serviço de Cardiologia, Oncologia, dentre outros no Instituto Hospital de Base precarizou", expõe.

A psicóloga ainda ressalta que o clima organizacional e a situação dos servidores têm sido preocupantes. "A porta de entrada fechou com dificuldade dos outros hospitais encaminharem pacientes psiquiátricos ao Instituto Hospital de Base. Estamos falando da saúde da população com números irreais e forjados para justificar a implantação do instituto, sendo que notadamente pelo Datasus os números são outros, da saúde dos servidores públicos que tiram do seu salário material para trabalhar, ânimo e criatividade para lidar com a escassez de Recursos Humanos e uma equipe unida e engajada na busca por qualificação com números contundentes de treinamentos, capacitações e projetos", observa.

O conselheiro regional de Psicologia e coordenador da Comissão de Psicologia Organizacional e do Trabalho, Vitor Barros Rego, salienta que a simples mudança do modelo de gestão não garante a efetividade e a eficácia dos serviços. "A boa gestão de uma unidade envolveria a gestão dos talentos, a gestão do desempenho, respeitando normativas internas de ascensão funcional, treinamento de lideranças, programas de capacitação e qualidade de vida no trabalho, além de suporte psicossocial para servidores que apresentarem prejuízos por excesso de trabalho. São alternativas organizacionais que poderiam ser inseridas, evitando todo este conflito", acrescenta. "Cabe alertar também a importância da cautela para adoção de medidas tão drásticas e de forma abrupta para não repertir o que aconteceu com a privatização da France Télécom, quando o plano de reestruturação da companhia levou a 60 suicídios de empregados entre 2006 e 2009", completa.

O CRP 01/DF esteve presente nas reuniões de articulações dos profissionais de saúde convocadas pelas entidades representativas dos servidores nos últimos dias e está em contato com outros conselhos profissionais definindo as próximas ações que serão comunicadas prontamente aos psicólogos do Distrito Federal.


<< Ver Anterior Ver Próximo >>