Nota de repúdio: Publicidade ofensiva contra o profissional de Psicologia e a luta pela valorização do cuidado com a saúde mental

nota-repudio-publicidade

O Conselho Regional de Psicologia do Distrito Federal – CRP 01/DF, por meio da Comissão Especial de Psicoterapias e Clínica – CPC, vem a público manifestar seu repúdio à peça publicitária divulgada pelo estabelecimento La Cave Wine Bar no dia 24/08/2018 (Acesso em: https://www.instagram.com/p/Bm3UMB-BxYX/?utm_source=ig_share_sheet&igshid=17djl84p1z2l7) que, em sua página no Instagram afirma: “ Vinho é mais barato que terapia”.

Hoje, no dia em que comemoramos 56 anos de regulamentação da nossa profissão, ainda precisamos lutar diariamente para que ela seja valorizada e respeitada. O cuidado com a saúde mental ainda é visto como algo desnecessário e supérfluo.

Entendemos o ser humano em sua complexidade e autonomia e não descartamos que cada pessoa possa dizer o que seja terapêutico para si mesma. Entretanto, dentro do que estabelece o Código de Ética Profissional do Psicólogo (Resolução CFP nº 010/05), não podemos permitir que esse tipo de comparação seja normatizada e vista como apenas uma brincadeira. Entendemos tal situação como um sinal que responsabiliza todo(a) psicólogo(a) a zelar para que a imagem da Psicologia não seja aviltada, principalmente para o público leigo.

Vale salientar também que, segundo a Organização Mundial de Saúde – OMS, o uso nocivo de álcool é um dos fatores de risco com grande impacto para a morbidade, mortalidade e incapacidades em todo o mundo, e está relacionado a 3,3 milhões de morte por ano, além de prejudicar a atividade cerebral, conforme aponta reportagem compartilhada pelo programa Bem Estar, da TV Globo (Acesso em: https://g1.globo.com/bemestar/noticia/mesmo-o-consumo-moderado-de-alcool-pode-prejudicar-o-cerebro-indica-estudo.ghtml). Dessa forma, o consumo de bebida alcoólica não pode ser considerado uma forma saudável de lidar com questões emocionais, muito menos substituir a psicoterapia ou terapias integrativas.

Lamentamos ter que interromper as celebrações do Mês no Psicólogo para repudiar uma publicidade que faz um desserviço a toda a luta, no sentido da valorização do cuidado com a saúde mental e do trabalho científico e ético do profissional de Psicologia.